Posts com a Tag ‘sintomas febre’

Sintomas da febre

Sintomas da febre

Segundo a minha Doutrina Térmica devemos distinguir entre transpiração e reacção de calor. Por regra geral a transpiração é prejudicial ao indivíduo porque esfria a sua pele, afastando o sangue da superfície do seu corpo para congestionar o seu interior desequilibrando assim a sua temperatura e debilitando a eliminação pelos poros que necessitam activa irrigação sangüínea para as suas salvadoras funções de nutrição e eliminação.

Compartilhe no:
  • Orkut

Febre

febre

Febre local.

Além da febre interna, que se origina e mantém no intestino  apresenta-se geralmente nos doentes uma febre local, na zona ou órgão  directamente comprometidos no desarranjo geral que sempre parte do aparelho digestivo. Assim, se espetamos uma espinha num dedo, imediatamente noian a inflamação local, com aumento da temperatura no ponto afectado. Fenór análogo se produz na pneumonia, nefrite, apendicite, reumatismo agudo.

O tratamento curativo deverá, pois, observar estes dois aspectos do desequilíbrio térmico que é preciso normalizar para obter a cura, ou seja o regresso à Saúde.

Compartilhe no:
  • Orkut

Febre

febre

Sendo toda a doença manifestação de desarranjo funcional do organismo por desequilíbrio térmico, ela é sempre caracterizada por febre, donde se conclui que não existe doente sem febre. Quando esta não se constata pelo termômetro cado debaixo do braço, é porque a febre está situada no interior do corpo.
Nas afecções agudas, a febre, cuja origem está sempre no interior do v propaga-se a todo o organismo, manifestando reacção saudável das defesas rais, que procuram a purificação orgânica.
A febre interna que não se manifesta à superfície do corpo é caracter de todo o doente crônico, e isso revela insuficiente defesa do organismo, ; causa de desnutrição e intoxicação porque favorece as putrefacções intest
Enquanto a febre que se apresenta à superfície do corpo manifesta reacção $ dora, a febre interna que esfria a pele e extremidades, denuncia deficiente a dade orgânica.

Compartilhe no:
  • Orkut

A febre

a-febre

5-° — Mas, se à «doença» queremos dar personalidade positiva, é preciso concordar que, qualquer que seja o seu nome ou manifestação, toda a doença é causada por febre gastrintestinal, em grau variável. É esta febre a causa e também o ponto de apoio do desarranjo funcional do organismo, ou seja, o inimigo da Saúde e causa única de morte. Não há doente sem febre.
6-° — Os sintomas, classificados como doenças diversas pela Patologia, são simples manifestações de desarranjo das funções de nutrição e eliminação do organismo afectado. A diversidade de sintomas de «falta de Saúde» depende do indivíduo, antecedentes hereditários, seu gênero de vida, ocupação, idade, sexo, clima, etc.
7-° — Febre e não micróbio é o inimigo que se deve combater em todo o doente, qualquer que seja o nome ou manifestação da sua doença. Salvo acidente, só se morre de febre.
8.° — Febre é um fenômeno de natureza infiamatória e congestiva. Origina-se por reacção nervosa e circulatória quando os nervos são irritados ou submetidos a trabalho maior do que o normal. Existe febre quando a temperatura sobe além de 37 graus centígrados. Esta elevação de temperatura é efeito da reacção nervosa e circulatória nos tecidos afectados.

9-° — A febre que sai à superfície do corpo é «curativa», porque favorece a eliminação de impurezas pela pele. Basta dirigi-la com adequadas aplicações frias de água ou argila.

A febre local deve combater-se porque localmente altera os processos ■ ção e eliminação dos tecidos afectados.
Finalmente, a febre interna debilita e aniquila as suas vítimas por des e intoxicação, alterando os processos de nutrição e eliminação que simultan se realizam pelo aparelho digestivo, pulmões e pele.
Com efeito, a febre gastrintestinal altera a digestão, processo fermentí para ser são, requer 37 graus centígrados de calor. À medida que a tem sobe no aparelho digestivo, progressivamente se altera a digestão que dege putrefacção, origem de tóxicos que, em lugar de nutrir, envenenam o sang tando toda a economia do corpo.
Também a febre interna altera as funções de nutrição e eliminação qt vem realizar nos pulmões.
Com efeito, como a actividade do coração é estimulada pelo calor, à me este sobe no interior do abdômen, acelera-se o ritmo cardíaco, lançando co freqüência a onda sangüínea aos pulmões; e, congestionando os seus tecide a sua capacidade respiratória.
Por último, a febre interna congestiona as vísceras e produz deficii culação sangüínea na superfície e extremidades do corpo. Esta deficiente ci sangüínea na pele debilita as suas importantes funções de segundo rim e pulmão.
Fica assim explicado como a febre gastrintestinal altera a Saúde e che. fim à vida do homem por desnutrição e intoxicação progressivas.

Compartilhe no:
  • Orkut