Arquivo da Categoria ‘Saúde enfermagem’

Tratamento de pneumonia

Pneumonia diferente:
Um dos fatores que tornam a doença especial é o processo infla-matório nos interstícios, aquele tecido pulmonar que separa os al-véolos (veja o infográfico). “A inflamação dificulta a troca de gases entre o sangue e o ar que respiramos”, explica Domingos Meira. “Nas pneumonias bacterianas — as mais comuns —, os alvéolos ficam cheios de pus, produzindo muita expectoração.” Esse sintoma não costuma acontecer na Sars.
Como em outras doenças respiratórias, o paciente não apresenta os sinais imediatamente
após a contaminação. “Há um período de incubação que varia de dois a dez dias”, calcula o infectologista Eduardo Medeiros, da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp). Depois disso é que a infecção dá as caras.
A doença produz febre acima de 38 graus e sensação de fadiga. “Em 20% dos casos, o mal afeta os alvéolos”, revela Medeiros. Esse é o grande problema. Em casos mais graves de insuficiência respiratória — ou dispnéia, como chamam os médicos — pode ser necessário apelar para respiradores artificiais. É bom frisar que para um paciente ser considerado suspeito, de acordo com a OMS, é preciso que tenha tido contato próximo com pessoas contaminadas ou viajado para algum lugar com alta incidência da pneumonia.

Repouso é o tratamento:
Ao contrário das pneumonias bacterianas, em que os antibióticos costumam dar conta do recado, a Sars ainda não tem remédio. “Drogas antivirais, como a ribavirina, vêm sendo usadas em alguns doentes, mas não há comprovação de sua eficiência no combate ao vírus”, diz Medeiros. Por isso, trata-se na verdade os sintomas, com hi-dratação constante e muito repouso. As pessoas infectadas devem permanecer em quarentena — em casa, nos casos mais brandos, ou em hospitais com quartos preparados especialmente para evitar a contaminação pelo ar.
Os kits para identificação da doença em hospitais começam a ficar prontos. Mas, é bom que se diga, ainda não são um primor. “Os exames de sorologia têm o inconveniente de não apresentar resultados positivos em alguns pacientes contaminados”, reclama o infectologista Sérgio Wey, do Hospital Albert Einstein, em São Paulo. É que são necessários cerca de dez dias a partir do contágio para que a pneumonia seja flagrada. De qualquer maneira, a falha no diagnóstico pode ser contornada com testes moleculares. Estes não têm erro, são capazes de identificar o material genético do coronavírus logo após a transmissão.
Depois de notificar alguns casos suspeitos à OMS, órgãos brasileiros como a Fundação Nacional de Saúde e a Agência Nacional de Vigilância Sanitária, ligados ao Ministério da Saúde, continuam de prontidão para identificar possíveis focos da pneumonia asiática no Brasil. A maior atenção é nas pessoas que desembarcam de aviões e navios procedentes de países com alta incidência da doença. Todos aqueles que apresentam
os sintomas da Sars são isolados. A liberação só acontece após a vistoria de agentes de saúde.
Alguns países, como o Canadá, estão adotando medidas mais rígidas. Todos os passageiros que chegam são examinados por máquinas capazes de detectar, a distância, se a pessoa está com febre. Por aqui, pelo menos até agora, as campanhas educativas promovidas em portos e aeroportos internacionais têm se mostrado eficientes.
“Os centros brasileiros de vigilância sanitária estão fazendo um trabalho adequado”, avalia Eduardo Medeiros. Ou seja, por enquanto pânico é desnecessário.

Compartilhe no:
  • Orkut

Dicas de nutrição saudável

Dicas de nutrição saudável

Dicas de nutrição saudável.
Há gente que vive afastada da acção do ar fresco, por medo às «constipações». Precisamente são as pessoas que temem o frio, as que sofrem de constipação crônica. Com o ar confinado nas habitações e com a escassa ou nula ventilação da pele,, o organismo sobrecarrega-se de impurezas. O sangue assim impurificado significa-enfermidade crônica e debilitamento das defesas. Ar puro c fresco tem acção vivi-ficante e estimulante sobre a força vital, a qual produz reacção defensiva e purifi-cadora que se manifesta na tosse, expectoração, defluxo, febre, catarro, etc. Erro grave é abafar por meio de venenos esta actividade defensiva do organismo.

Compartilhe no:
  • Orkut

Tônicos farmacêuticos

Tônicos farmacêuticos

Os tônicos farmacêuticos e as injecções ou soros fortificantes (?), mediante os venenos que possuem, estimulam também o organismo, obrigando-o a defender-se do tóxico, procurando a sua expulsão cuja presença no corpo o prejudica. A maior actividade que a natureza do doente desenvolve para defender-se do veneno, faz-lhe sentir forças novas que erradamente atribui a virtudes da droga ou injec-ção. Desgraçadamente o desengano não se faz esperar, pois a reacção orgânica que se julgou salvadora, só foi um alívio passageiro, após o qual vem prostração maior, pois o estimulante artificial, longe de aumentar a força vital, consome as reservas que a Natureza possui desta energia.

Compartilhe no:
  • Orkut

Lei orgânica da saúde

Lei orgânica da saúde

A nossa crítica, pois, vai contra o sistema e não contra os médicos pessoalmente pois estes fazem o que o público lhes paga e este público tem o que merece.
É preciso convencermo-nos de que a Saúde é o tesouro mais valioso que podemos possuir e este só pode adquiri-lo e conservá-lo o próprio interessado, levando uma Vida consciente e submetida à Lei Natural. Produzida a doença, há um só caminho para recuperar a Saúde perdida: abandonar o caminho extraviado e voltar à vida judiciosa e ordenada da Lei Natural.

Compartilhe no:
  • Orkut

Prevenção de doença

Prevenção de doença

Tenhamos sempre presente que o organismo doente, seguindo leis imutáveis da Natureza, tende sempre a curar-se, nunca a agravar-se, porque a lei da Vida envolve a lei da defesa. As chamadas complicações não são obra da Natureza, senão o efeito de tratamento inadequado ou prejudicial, com cirurgia, drogas, vacinas, soros, injecções, electricidade ou rádio que, sem removerem a causa do transtorno orgânico, combatem os sintomas ou seja as rcacções defensivas do organismo, dificultando ou paralisando a obra salvadora deste. Fechado o caminho da defesa por esses meios, a Natureza procura outros, dando lugar às «complicações».

Compartilhe no:
  • Orkut

Prevenção das doenças

Prevenção das doenças

Os agentes naturais, pelo contrário, favorecem e aumentam a energia vital do doente, activando a sua resistência orgânica e defesas naturais, favorecendo a volta à normalidade funcional do organismo, que é Saúde integral. Assim, o ar puro vita-liza e purifica o sangue; a luz e o sol activam a função nervosa, destroem impurezas orgânicas e favorecem a sua expulsão do corpo; a água fria e seu vapor, combinados na minha Lavagem ao Sangue, combatem a febre interna, equilibram as temperaturas interna e externa do doente e favorecem as eliminações gerais; a terra em união com a água, ou seja o barro, é o melhor descongestionante, purificador, calmante e vitalizànte de que dispomos para actuar localmente; e, por fim, frutas cruas, saladas e oleaginosas constituem alimento-remédio, porque nutrem, refrescam e purificam ao mesmo tempo.

Compartilhe no:
  • Orkut

Prevenção da doença

Prevenção da doença

Prevenção da doença.
Só a Natureza cura, porque só ela possui a força de reacção necessária para restabelecer a normalidade funcional do organismo. Mas para que a Natureza cure, segundo a minha Doutrina, é necessário colocar o corpo em Equilíbrio Térmico congestionando a sua pele e refrescando as suas vísceras.
As intervenções cirúrgicas, drogas, antibióticos, soros, vacinas, injecções, elec-tricidade, raios X ou rádio, longe de favorecerem a energia curativa do organismo, deprimem-na em definitivo, ainda que passageiramente a estimulem. E preciso que se saiba que o tratamento medicamentoso dos doentes, principalmente o que se inocula no seu sangue, rebaixa a sua vitalidade chegando a impossibilitar toda a reacção salvadora.

Compartilhe no:
  • Orkut

Doenças e prevenção

Doenças e prevenção

Doenças e prevenção.
Actuando desta forma é possível afastar, por regeneração orgânica, todos os males do homem, sem distinção de sintomas ou classificações, salvo casos de lesões nervosas ou cirúrgicas, de afecções de nascença e de aniquilamento da energia vital por intoxicação medicamentosa. Chamem-se os processos mórbidos, cancro, tuberculose, sífilis, diabetes, lepra ou loucura, eles desaparecerão sempre que se consiga regenerar o fluido vital do doente mediante boas digestões e activas eliminações da sua pele.
Em todo o caso, o agente que restabelece a Saúde é a força vital do organismo afectado. O que não faça a própria Natureza, nada e ninguém o fará.

Compartilhe no:
  • Orkut

Psicologia corpo

Psicologia corpo

Daqui resulta que a arte de restabelecer a Saúde tem por objectivo combater a febre destrutiva do aparelho digestivo, em grau variável, comum a todo o doente, e produzir febre curativa na sua pele. Requerendo a função digestiva e a eliminadora da pele temperatura normal e uniforme, tanto no interior do ventre como na superfície do corpo, resulta que a arte de curar é questão de temperatura, único caminho que conduz à normalidade funcional, ou seja, à Saúde integral do corpo. Refrescar o interior do seu ventre e congestionar a sua pele são as necessidades que precisa satisfazer todo o doente, em grau variável, como o revela o exame da íris e confirma o seu pulso.

Compartilhe no:
  • Orkut

Atendimento saúde

Atendimento saúde

O diagnóstico médico corrente só se preocupa com a classificação de sintomas ou manifestações de alterações da Saúde, com nomes convencionais e baseado também cm convencionalismos de escola. Na Natureza não há nomes, senão fenômenos normais ou anormais. A observação da íris do doente segundo a minha Doutrina estabelece que o desequilíbrio Térmico do seu corpo é a natureza e a origem do desarranjo funcional do organismo, característico do estado de doente, com ou sem sintomas. Impurificação orgânica c má circulação do sangue cm grau variável são conseqüências deste desarranjo.

Compartilhe no:
  • Orkut