Arquivo da Categoria ‘Saude’

Tratamento de pneumonia

Pneumonia diferente:
Um dos fatores que tornam a doença especial é o processo infla-matório nos interstícios, aquele tecido pulmonar que separa os al-véolos (veja o infográfico). “A inflamação dificulta a troca de gases entre o sangue e o ar que respiramos”, explica Domingos Meira. “Nas pneumonias bacterianas — as mais comuns —, os alvéolos ficam cheios de pus, produzindo muita expectoração.” Esse sintoma não costuma acontecer na Sars.
Como em outras doenças respiratórias, o paciente não apresenta os sinais imediatamente
após a contaminação. “Há um período de incubação que varia de dois a dez dias”, calcula o infectologista Eduardo Medeiros, da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp). Depois disso é que a infecção dá as caras.
A doença produz febre acima de 38 graus e sensação de fadiga. “Em 20% dos casos, o mal afeta os alvéolos”, revela Medeiros. Esse é o grande problema. Em casos mais graves de insuficiência respiratória — ou dispnéia, como chamam os médicos — pode ser necessário apelar para respiradores artificiais. É bom frisar que para um paciente ser considerado suspeito, de acordo com a OMS, é preciso que tenha tido contato próximo com pessoas contaminadas ou viajado para algum lugar com alta incidência da pneumonia.

Repouso é o tratamento:
Ao contrário das pneumonias bacterianas, em que os antibióticos costumam dar conta do recado, a Sars ainda não tem remédio. “Drogas antivirais, como a ribavirina, vêm sendo usadas em alguns doentes, mas não há comprovação de sua eficiência no combate ao vírus”, diz Medeiros. Por isso, trata-se na verdade os sintomas, com hi-dratação constante e muito repouso. As pessoas infectadas devem permanecer em quarentena — em casa, nos casos mais brandos, ou em hospitais com quartos preparados especialmente para evitar a contaminação pelo ar.
Os kits para identificação da doença em hospitais começam a ficar prontos. Mas, é bom que se diga, ainda não são um primor. “Os exames de sorologia têm o inconveniente de não apresentar resultados positivos em alguns pacientes contaminados”, reclama o infectologista Sérgio Wey, do Hospital Albert Einstein, em São Paulo. É que são necessários cerca de dez dias a partir do contágio para que a pneumonia seja flagrada. De qualquer maneira, a falha no diagnóstico pode ser contornada com testes moleculares. Estes não têm erro, são capazes de identificar o material genético do coronavírus logo após a transmissão.
Depois de notificar alguns casos suspeitos à OMS, órgãos brasileiros como a Fundação Nacional de Saúde e a Agência Nacional de Vigilância Sanitária, ligados ao Ministério da Saúde, continuam de prontidão para identificar possíveis focos da pneumonia asiática no Brasil. A maior atenção é nas pessoas que desembarcam de aviões e navios procedentes de países com alta incidência da doença. Todos aqueles que apresentam
os sintomas da Sars são isolados. A liberação só acontece após a vistoria de agentes de saúde.
Alguns países, como o Canadá, estão adotando medidas mais rígidas. Todos os passageiros que chegam são examinados por máquinas capazes de detectar, a distância, se a pessoa está com febre. Por aqui, pelo menos até agora, as campanhas educativas promovidas em portos e aeroportos internacionais têm se mostrado eficientes.
“Os centros brasileiros de vigilância sanitária estão fazendo um trabalho adequado”, avalia Eduardo Medeiros. Ou seja, por enquanto pânico é desnecessário.

Compartilhe no:
  • Orkut

Nódulo de tireóide

Dois caminhos e um resultado preciso:
As células da tireóide podem passar por duas avaliações, o que torna o teste mais eficaz

Uma pequena amostra do nódulo é retirada com uma seringa. Especialmente quando o caroço não é palpável, o médico realiza o exame com a ajuda de um ultra-som.
Avaliação básica:
Uma parte do material é distribuída em lâminas.
Avaliação complementar:
Os médicos podem ainda misturar o que sobrou da amostra em álcool e formol.
Esse material é processado, envolvido em parafina — o que facilitará a visualização das células — e disposto em lâminas também.
Por último, todas as lâminas são analisadas em um microscópio. Aqui o que conta é a experiência do médico. Ele saberá dizer o que aconteceu com aquelas células. Estas, por exemplo, denunciam um câncer.

Compartilhe no:
  • Orkut

Economia saudável

Além do tabagismo provocar males à saúde, também é responsável por um ,desfalque em seu orçamento. Se uma pessoa que consome um maço de cigarro por dia parar de fumar, economizar e investir o valor desse maço (R$ 2,75) diariamente (com uma taxa de 1 % ao mês), ao final de 20 anos ela terá R$ 81.613,57. Isso sem contar os gastos que um fumante terá nesse período com problemas de saúde, ocasionado pelos cigarro.

Compartilhe no:
  • Orkut

Plantas nativas

As avós já diziam que o alimento e o remédio necessários para a saúde crescem no quintal. Hoje, no entanto, os quintais já não crescem na mesma proporção que os problemas de saúde, mas as plantas alimentícias estão sempre ali junto ao homem, aguardando seu reconhecimento. Com certeza ninguém viu pé de alface nascer espontaneamente sem ser cultivado. Nem uma suculenta beterraba surgir do nada numa fresta de parede. Esse “fenômeno” só acontece com a intervenção humana. Porém, existe sim uma prodigalidade natural que faz nascer plantas resistentes, estáveis e comestíveis em locais inusitados.
Elas crescem espontaneamente e de forma tão abundante que normalmente são consideradas matos ou pragas invasoras, o que leva a maioria das pessoas a retirá-las do terreno para, em seu lugar cultivar as conhecidas folhas e raízes.
A boa nova é que as costumeiras verduras podem ser cultivadas contemplando a presença de suas vizinhas espontâneas ou nativas.”A natureza é sábia e em cada região e época do ano crescem livremente as plantas mais adequadas para as necessidades alimentares locais”, afirma o agrônomo Marcos Furlan. Há algum tempo as plantas consideradas espontâneas e nativas têm despertado o interesse desse professor universitário. “As plantas espontâneas possuem maior diversidade de nutrientes que uma hortaliça comum que pode apresentar maior teor de uma determinada vitamina, mas não tem essa diversidade característica das plantas que nascem por si.Tendo-as à mesa, não precisamos comer muita quantidade para obter os elementos vitais à saúde.”

Compartilhe no:
  • Orkut

Oleo de rosa mosqueta ajuda mesmo a clarear cicatrizes?


André Rodrigues, São Paulo, SP “Embora não existam estudos que comprovem esse efeito, a substância hidrata a pele e, por isso suaviza a aparência da cicatriz, diz a dermatologjsta Adriana Awada, de São Paulo. Ela recomenda espalhar o óleo nas marcas e massagear durante dois minutos para a absorção do produto. Além da ação hidratante, o óleo de rosa mosqueta é indicado no tratamento de queimaduras e alterações nà pele causadas por radioterapia. B.F.

Compartilhe no:
  • Orkut

Adeus à enxaqueca. Sem remédio

O combate a sinusite, enxaqueca e otite ganha uma nova estratégia: a biofísica, método que se vale de acupuntura, ímãs, ventosas, moxa e massagens em pontos específicos do corpo. “Nos casos da dor de cabeça crônica, conseguimos bons resultados em 85% dos casos”, garante o médico anestesista César Augusto Arena, responsável pelo serviço de Biofísica da Dor no Hospital CEMA e professor de Medicina Tradicional Chinesa no Hospital do Servidor Público Municipal, em São Paulo. Os tratamentos mais simples exigem uma média de dez sessões – uma a cada semana. “Os efeitos são logo notados. Às vezes, na segunda aplicação os pacientes já mencionam o alívio”, diz.

Compartilhe no:
  • Orkut

Qualidade Brasileira

As cápsulas de ipê-roxo vendidas no Japão contam com tecnologia totalmente brasileira. “A extração da casca da árvore é feita na cidade deTapiraí, em São Paulo, e o produto é exportado dentro da embalagem, sob o nome de Ipê Pure”, diz o botânico Sérgio Roberg.

Compartilhe no:
  • Orkut

Ipê-roxo contra efeitos de quimioterapia e radioterapia

Cápsulas à base dessa planta podem aliviar as náuseas e a queda de cabelo provocadas pelas formas mais comuns de tratamento contra o câncer – a quimio e a radioterapia. “Por enquanto, temos comprovado o benefício em pacientes com câncer no estômago”, conta Janete Yasuda, farmacêutica responsável pelo Roberg Alimentos e Medicamentos da Natureza — laboratório que desenvolveu o produto, em parceria com a Universidade de Teikyo, no Japão, onde o medicamento é comercializado desde março de 2004. Entre outras substâncias, o ipê-roxo contém lapachol, princípio ativo capaz de estimular a ação das células que compõem o sistema imunológico, acelerando a recuperação. A fórmula aguarda autorização do Ministério da Saúde para ser vendida no Brasil.

Compartilhe no:
  • Orkut

Vida e saude

Não dá para ser reducionista e afirmar que SAÚDE! sempre traz dois tipos de reportagem – aquele que enfoca os novíssimos tratamentos, frutos da mais alta tecnologia, e aquele que fala das atitudes que devemos tomar no dia a dia para prevenir problemas. Mas é inegável que qualquer assunto abordado na revista tende a pender para um lado ou para o outro. O primeiro, eu diria, é mais fácil. Ora, se eu trago ótimas novidades, claro que vou chamar a sua atenção. E é gratificante. Por exemplo, quem não quer ficar por dentro das notícias mais quentes do mundo da oftalmologia? É, de fato, muito bom espalhar que a ciência já apresenta solução para alguns dos males capazes de afetar esse órgão que desdenha qualquer promessa de juventude – sim, porque o olho humano sempre dá sinais de envelhecimento e, diga-se, envelhece cedo. Mais difícil é explorar o território da prevenção, por incrível que pareça. Você corre, para começo de conversa, o risco de soar repetitivo. Porque é sempre a mesma história: comer direito, dormir direito, fazer atividade física direito… Às vezes me pergunto: será que as pessoas não estão cansadas de ouvir isso? Mas não tem escapatória! Nem na hora de um sexo ó-ti-mo. Para relaxar e… ser feliz, muito feliz, você precisa (de novo!) comer direito, dormir direito, fazer atividade física… A receita não muda. E o que muda, de reportagem para reportagem, são os nossos argumentos para convencê-lo de que vale a pena investir na sua saúde. È quer melhor argumento do que aumentar a tal da expectativa de vida sexual? (em tempo, esse conceito é novíssimo).
Nesse mesmo tom, lançamos um novo livro de autoria do preparador físico Marcos Paulo Reis, ao lado dos professores de educação física Fábio, Emerson e César. Chama-se Caminhada Já!, e não tire conclusões precipitadas, porque o assunto, ali, não é nada óbvio. O livro oferece três programas completos de treino e, nele, Marcos Paulo conta todos os segredos para o seu caminhar ser um dos mais eficientes exercícios para fortalecer o coração, aumentar o fôlego, espantar o estresse e perder peso, enxugando a barriga. Há quem diga que a caminhada é o esporte do amanhã. Não espere isso acontecer e siga em frente com ela agora mesmo.

Compartilhe no:
  • Orkut

Como manter uma boa saude

Proteger a vitalidade do nosso sistema nervoso é meio seguro de manter a Saúde e alcançar longa Vida. Conseguiremos isto mantendo permanentes boas digestões, respirando ar puro a toda a hora e activando diariamente a eliminação cutânea com a minha Lavagem do Sangue pelo vapor ou pelo sol, depois dos 40 anos.
Também se evitará toda a espécie de tóxicos como tabaco, álcool industrial e alimentos inadequados. Que por nenhum pretexto se inoculem no nosso corpo vacinas, soros, injecções, medicamentos ou outros produtos de laboratório, porque o organismo carece de defesa uma vez envenenado o sangue que o leva ao adorme-cimento da salvadora actividade nervosa.
E de passagem condenamos essa diabólica punçâo lombar, tão em moda. Enquanto que por meio dela se rouba o tesouro vital tão cuidadosamente defendido pela Natureza dentro da espinha dorsal, inoculam-se no corpo mortíferos venenos. Cuidemos, pois, de defender a nossa energia nervosa, que é maravilha do Criador, mantendo diariamente a pureza do sangue, mediante a normalidade funcional do organismo, que é resultado do Equilíbrio Térmico do nosso corpo.

Compartilhe no:
  • Orkut