Arquivo da Categoria ‘Doenças parasitas’

Diferentes micróbios

Diferentes micróbios

Por outro lado, convém saber que os micróbios não podem viver separados do terreno’doentio, que desagregam, de maneira que, para inoculá-los, devem ir no vírus em que se cultivam. O que produz, pois, a enfermidade do indivíduo ino-culado, é o envenenamento do seu sangue por esta peçonha e não pelo micróbio.
Ventres febris e pletóricos de imundícies em putrefacção constituem ambiente propício para a vida e desenvolvimento dos diferentes micróbios, cujas espécies variam como as lombrigas, conforme a qualidade do terreno e a temperatura. Assim, no intestino temos os benéficos colibacilos a 37 graus. À medida que o ventre se torna febril, aparecerão os daninhos micróbios da putrefacção.

Compartilhe no:
  • Orkut

Enfermidade

Enfermidade

O argumento que se faz valer para provar que o micróbio produz a enfermidade, é este: se injectarmos numa pessoa o espiroqueta, aparecer-lhe-á a sífilis, podendo dizer-se outro tanto da tuberculose ou outra doença. No entanto, este argumento só prova que o micróbio aí onde se localizou, encontrou um terreno favorável para o seu desenvolvimento, ou seja, que já existia o doente ignorado, quando se inoculou a bactéria, a qual pôs em fermentação o terreno doentio existente, dando lugar aos diversos sintomas, qualificados de sífilis ou tuberculose. Isto está demonstrado pela iridologia, que revela que a chamada sífilis, como a tuberculose ou o cancro, são estados crônicos de grande impurificação orgânica por más digestões permanentes.

Compartilhe no:
  • Orkut

Sintomas infecção bacteriana

Sintomas infecção bacteriana

Sintomas infecção bacteriana:
Também no lar se comprova que num dia de calor de Verão, a panela de comida que se deixa da manhã à noite, azeda e entra em fermentação pútrida. Para evitar este inconveniente inventou-se o frigorífico, porque combatendo-sc o calor evita-se a putrefacção.
Pelo exposto é fácil compreender que, se num corpo doente se deseja combater uma «infecção» microbiana, bastará favorecer a eliminação pela pele, rins e intestinos, das impurezas nele acumuladas e combater a febre interna do seu ventre. Nada de caçar micróbios com venenos.

Compartilhe no:
  • Orkut

Sintomas de infecção

Sintomas de infecção

Convém não esquecer que em toda a sintomas de infecção actuam sempre no organismo dois factòres prévios: terreno impuro, formado por acumulação de matérias orgânicas, mortas, introduzidas mediante má nutrição e, além disso, temperatura febril que é a adequada para a decomposição, fermentação e putrefacção das matérias estranhas aos tecidos vivos do corpo.

Compartilhe no:
  • Orkut

Metabolismo microbiano

Metabolismo microbiano

A Vida orgânica precisa da acção microbiana para subsistir e desenvolver-se. Sem micróbios é impossível a Vida vegetal ou animal. Com efeito, as plantas c árvores têm as suas raízes na terra, mas não se alimentam deste elemento. Sc as árvores incorporassem a terra na sua economia, à medida que se desenvolve o seu tronco iriam deixando uma cova à sua volta, mas sucede precisamente o contrário. As raízes das árvores e plantas incorporam substâncias misteriosas elaboradas pelos micror-ganismos que actuam na terra em determinado grau de calor e humidade.

Compartilhe no:
  • Orkut

Tipos de micróbios

Tipos de micróbios

Ao culpar o micróbio como causador dos seus males, o homem não quer reconhecer o erro próprio porque, contrariando a Lei Natural, cada qual se converte no pior inimigo de si próprio.
O ser racional, para cuja alimentação se fizeram as frutas frescas c oleaginosas, abandonando estes alimentos vivos, puros e energéticos, come substâncias cadavé-ricas e com isso acumula no seu corpo as matérias pútridas que o micróbio deve remover. Esquecendo os seus próprios erros de Vida, sem razão o homem culpa este das putrefacções que envenenam o seu sangue, originam as suas enfermidades e preparam prematura e trágica morte por auto-intoxicação.

Compartilhe no:
  • Orkut

Doenças causadas por micróbios

Doenças causadas por micróbios

A enfermidade, que é anormalidade, desordem, não pode ter por causa uma acção harmônica e ordenada como a que desempenham os micróbios que actuam obedecendo à Lei Natural. Atribuir um efeito anormal como é a doença, a uma acção normal como a desenvolvida pelo micróbio, é cair no absurdo de aceitar um efeito contrário à natureza da causa que o produz.

Compartilhe no:
  • Orkut

Os micróbios

Os micróbios

As mesmas leis que dirigem o movimento dos astros, que regulam as estações do ano e que, mediante o instinto guiam constantemente o irracional pelo caminho da normalidade, estas mesmas leis, repetimos, colocam o micróbio no lugar e missão que lhe correspondem para contribuir à harmonia universal, fundamento da vida.
Como é possível que todos os médicos se tenham enganado, toda a sua vida, unanimemente’! É que não há que tomar por unanimidade» de opinião o que só é simples «uniformidade de ensino. Que podem «opinar» esses jovens educandos, dependentes só de aprender bem a lição que lhes permita passar logo a eminentes homens de ciência ?

Compartilhe no:
  • Orkut

Micróbio

Micróbio

Esta é a melhor prova contra a teoria microbiana como causa dos males do homem.
O micróbio está sempre bem onde se encontra, pois as suas actividades e a sua vida desenvolvem-se, em todos os momentos, em harmonia com as leis imutáveis da Natureza. Como acabamos de dizer, a sua missão é fazer a polícia dos tecidos, devorando substâncias orgânicas mortas, em decomposição, introduzidas no organismo por meio de uma alimentação cadaverica e derivada de putrefacções intestinais, as quais ficam nele retidas por deficientes eliminações da sua pele, rins e intestinos C1).

Compartilhe no:
  • Orkut

Parasitas humanos

Parasitas humanos

Vemos, pois, que assim como os parasitas são para o homem elementos de perturbação e de morte, os micróbios constituem um aliado da vida orgânica porque, nutrindo-se de substâncias prejudiciais para o organismo, favorecem a sua remoção e eliminação, o que eqüivale a ajudar o saneamento do sangue e tecidos do corpo.
Isto é revelado pela íris de todo o doente. A presença de micróbios não aparece como anormalidade na íris; pelo contrário, os parasitas, como as lombrigas e o ácaro da sarna, manifestam-se com claros sinais de anormalidade, como se explica na minha obra A íris de Teus Olhos Revela a Tua Saúde.

Vemos, pois, que assim como os parasitas são para o homem elementos de perturbação e de morte, os micróbios constituem um aliado da vida orgânica porque, nutrindo-se de substâncias prejudiciais para o organismo, favorecem a sua remoção e eliminação, o que eqüivale a ajudar o saneamento do sangue e tecidos do corpo.
Isto é revelado pela íris de todo o doente. A presença de micróbios não aparece como anormalidade na íris; pelo contrário, os parasitas, como as lombrigas e o ácaro da sarna, manifestam-se com claros sinais de anormalidade, como se explica na minha obra A íris de Teus Olhos Revela a Tua Saúde.
Compartilhe no:
  • Orkut