Arquivo da Categoria ‘Digestão’

Processo digestivo humano

Para desenvolver-se normalmente, o processo digestivo necessita a temperatura normal do corpo humano que é de 37 graus. Também a elaboração do vinho, para que seja sã, necessita que a temperatura de fermentação das uvas não suba além de certo grau; passado este limite a fermentação degenera em putrefacção, decom-pondo-se o sumo da uva, que se avinagra.
O calor anormal do estômago e intestinos, febre interna, que em grau maior ou menor é característico de todo o doente, favorece a putrefacção dos alimentos com o que o organismo se vê privado de substâncias de que necessita, e em troca incorpora no seu sangue substâncias decompostas, inúteis e prejudiciais. Daqui, que todo o doente é um desnutrido e intoxicado em grau variável.

Compartilhe no:
  • Orkut

Processo digestão

A digestão é um processo de fermentação microbiana que requer determinada temperatura para desenvolver-se de forma normal e conveniente. A digestão só pode ser sã e origem de sangue puro quando se realiza à temperatura normal de 37 graus.
A temperatura febril do tubo digestivo favorece a putrefacção dos alimentos que se corrompem facilmente com o calor anormal. Este facto pode ser comprovado por qualquer pessoa nos dias de Verão, verificando como um prato de comida se azeda em poucas horas. Para evitar esta putrefacção dos alimentos foi criado o frigorífico. Com o meu sistema refrigerase o interior do ventre do indivíduo, evitando assim as suas putrefacções intestinais.

Compartilhe no:
  • Orkut

Como ocorre a digestão

Como ocorre a digestão

Definamos: digestão é a transformação em sangue dos alimentos ingeridos, mediante fermentação microbiana que só pode ser sã no homem à temperatura de 37 graus centígrados.
Segundo isto, a digestão depende:
1. Da temperatura do estômago e intestinos;
2. Dos alimentos, sua qualidade, quantidade e combinação;
3. Da completa mastigação e calma deglutição.
O primeiro ponto será tratado em seguida, deixando os outros para examinar no capítulo intitulado Tiofologia.

Compartilhe no:
  • Orkut

Boa digestão

Boa digestão

Terminamos, repetindo o nosso ponto de vista: Curar, não; normalizar, sim, produzindo sempre febre curativa na pele do doente e refrescando o interior do seu ventre para fazer desaparecer a febre destrutiva das suas vísceras. Deste modo restabeleceremos a normalidade funcional do organismo, ou seja, a sua Saúde integral, qualquer que seja o nome da doença.
Não esqueçamos que o melhor «remédio» é uma boa digestão, a qual só é possível manter com Equilíbrio Térmico do corpo.
Tenhamos presente que o que nos dá a Saúde cura a doença, porque esta, que é desarranjo funcional dó organismo, só pode desaparecer restabelecendo a normalidade perdida. E já sabemos que esta normalidade só é possível com o Equilíbrio Térmico do corpo.

Compartilhe no:
  • Orkut

Temperaturas interna

Temperaturas interna

Priessnitz, com as suas abluções e compressas húmidas; Kneipp, Lust e Padre Tadeo, com os seus jorros dc água fria e enfaixamentos húmidos; Kuhne, com os seus banhos frios ao baixo-ventre e seus vapores; Rikli, com os seus banhos de ar frio e de sol; e Just, com os seus enfaixamentos e cataplasmas de barro sobre o ventre, imortalizaram os seus nomes, realizando milagrosas curas mediante simples aplicações destinadas a equilibrar as temperaturas interna c externa do corpo doente, para assim normalizar as suas funções de nutrição e eliminação.

Compartilhe no:
  • Orkut

Digestão e absorção

Digestão e absorção

Enfermo que consiga normalizar a sua digestão, curar-se-á, qualquer que seja o nome da doença. Pelo contrário, todo o procedimento curativo está condenado a fracassar no paciente se não se obtém a normalização da sua função digestiva.

Compartilhe no:
  • Orkut

Alimentação humana

Alimentação humana

Todo o processo mórbido localizado no organismo, desde a simples inflamaçao até o tumor, representa defesa orgânica que deposita numa zona do matérias corrompidas, elaboradas por putrefacções intestinais e retidas por deficientes eliminações da pele, rins e intestinos.
Afecções venéreas ou de qualquer outra natureza revelam a existência no organismo de terreno impuro, preparado e mantido por crônicos e graves desarranjos digestivos, como efeito de putrefacções intestinais por febre interna.

Compartilhe no:
  • Orkut

Boa alimentação

Boa alimentação

Isto explica também que pessoas que vivem cometendo erros diários e ex na alimentação, possam viver aparentemente sãs e alcancem idades avan Estas pessoas estão gastando uma vitalidade acumulada pelos seus progen despojando dela a sua descendência condenada a pagar os erros de seus pais.
A minha doutrina do desequilíbrio Térmico como causa de desarranjo fun do organismo, explica por que os doentes crônicos sentem agravar-se os seus ques em tempo frio e se aliviam na época do calor.

Compartilhe no:
  • Orkut

FEBRE INTERNA

FEBRE INTERNA

EFEITOS DA FEBRE INTERNA
Os alimentos de origem animal, como carne e respectivo suco, leite, ovos, caldo e mariscos, introduzidos no estômago e intestinos febris, corrompem-se, originando fermentações doentias, que, junto com o privar esses alimentos das suas propriedades benéficas, carregam o sangue de substâncias tóxicas, matérias estranhas aos tecidos vivos do corpo, ou substâncias mórbidas.

Compartilhe no:
  • Orkut

Doencas virus

Doencas virus

Se diariamente e durante anos se reproduz este processo de congestão interna e efeminamento da pele, não é de admirar que, salvo grande resistência por contex-tura orgânica privilegiada, o estômago e intestinos apresentem mucosas e paredes de tecidos esponjosos, cronicamente inflamadas, causa de constante desequilíbrio térmico do corpo, que, alterando a normalidade funcional do organismo, é origem de desarranjos gerais e transtornos locais, desde a dispepsia à degeneração orgânica.

Compartilhe no:
  • Orkut