Arquivo da Categoria ‘Atenção saúde’

Fibromas moles

¿O que são aquelas bolinhas claras que aparecem nas pálpebras?
R: São fibromas moles, popularmente conhecidas como verrugas, que não passam de lesões benignas provocadas por fatores hereditários. O tratamento estético é feito com eletrocoagulação, aparelho que queima a lesão e promove cicatrização rápida. “O procedimento é bem simples e pode ser feito em consultório, após o uso de uma pomada anestésica local. No pós-operatório indica-se apenas limpeza com antisépticos”, diz a dermatologista Ana Lúcia Salgada de Castro, de São Paulo.

Compartilhe no:
  • Orkut

Muito além do bem-estar

Muito além do bem-estar:
A atividade física também provoca a liberação no sistema nervoso central de endorfinas, famosas pela sensação de prazer.
Os cientistas descobriram que alguns leucócitos possuem receptores dessas substâncias. A hipótese é de que a endorfina ative essas células.
Trabalho organizado:
O corpo encara o exercício como um estresse. Por isso, o sistema nervoso central manda liberar cortisol no sangue.
Esse hormônio tem a capacidade de reorganizar o trabalho dos leucócitos e também de diminuir a atividade deles, o que às vezes é desejável.

Compartilhe no:
  • Orkut

Diferença de 1 centímetro nas pernas

Minha filha tem diferença de 1 centímetro nas pernas. É problema?

Como se limita a 1 centímetro, a diferença não é preocupante. “Mesmo assim, o ideal é compensar a disparidade com uma palmilha no sapato correspondente à perna mais curta”, ensina Nelson Astur. Entretanto, se a desproporção for maior que 1 centímetro, há risco de a sua filha desenvolver problemas na coluna. Por isso você deve levála ao médico.

Compartilhe no:
  • Orkut

Pneumonia é uma doença mundial

Ainda não dá para respirar aliviado:
Mas os médicos, ao menos, já sabem como agir caso a pneumonia asiática chegue pra valer ao Brasil. A doença continua provocando estragos mundo afora.

A pneumonia asiática está ganhando as manchetes dos jornais no mundo todo. Não à toa. Até o inicio de maio, aproximadamente 6 mil casos —  com mais de 400 vítimas fatais — haviam sido notificados à Organização Mundial da Saúde (OMS). Na China e em Hong Kong, regiões em que a epidemia alcançou proporções alarmantes, os governos locais foram obrigados a fechar escolas e interditar cinemas e teatros, entre outras medidas drásticas. Por lá a preocupação beira a histeria. De fato, a infecção, também conhecida como Sars (sigla em inglês para Síndrome Respiratória Aguda Severa), não deve ser menosprezada. A nova pneumonia pode matar até 6% dos pacientes.
A esta altura, você deve estar torcendo para que o problema não cruze as nossas fronteiras. Felizmente, apesar da avalanche de más notícias, os especialistas acreditam ser pouco provável um estrago semelhante em território brasileiro. “Mesmo que algumas pessoas contaminadas cheguem ao país, o risco de a pneumonia se alastrar é pequeno”, aposta o infectologista Domingos Alves Meira, da Universidade Estadual Paulista (Unesp) em Botucatu, interior de São Paulo. Na pior das hipóteses, regiões metropolitanas como São Paulo e Rio de Janeiro, que vira e mexe recebem gente de outros cantos do globo, seriam as mais afetadas. Se isso acontecer, existem medidas simples que ajudam a evitar a propagação do coronavírus, o agente causador da Sars (veja o quadro à direita).

O alerta mundial foi disparado em fevereiro deste ano. Após surtos na China, em Hong Kong e no Vietnã, a OMS decidiu investigar a doença misteriosa que começava a se alastrar rapidamente pela Ásia. No início os cientistas chegaram a desconfiar de uma supergripe, mas a possibilidade foi logo descartada. Em algumas semanas, a nova pneumonia aterrissava na cidade de Toronto, no Canadá — cidade que recebe um número grande de chineses.
Nos meses seguintes, cientistas de vários países — Estados Unidos, Canadá, Alemanha, entre outros — uniram forças e criaram uma espécie de laboratório virtual de pesquisa. A intenção era desmascarar rapidamente o microorganismo responsável pelo mal. Deu certo. No começo de abril, o vilão foi finalmente identificado: faz parte da família dos coronavírus e é primo do causador do resfriado. O que não se sabe ainda é como ele surgiu. “A hipótese mais aceita é a de que tenha sido transmitido por animais”, conta o virologista Armando Ventura, da Universidade de São Paulo. “Em contato com seres humanos, o vírus pode sofrer mutações e tornar-se perigoso.”

Compartilhe no:
  • Orkut

Estomatite em crianças

Estomatite:
Essa inflamação da mucosa da boca faz aparecerem lesões doloridas que cocam e ardem. Não à toa, as pequenas vítimas recusam comida. Mas insista porque o corpo precisa de energia para se recuperar. Em geral a estomatite é provocada pelo vírus do herpes e não tem tratamento. Que bom que tudo termina em uma semana.”Ajude a criança a escovar os dentes e a bochecar com anti-sépticos para evitar infecções nos machucados”, orienta o odontologista Sílvio Boracks, de São Paulo.

Compartilhe no:
  • Orkut

O que o álcool faz pelo coração

O que o álcool faz pelo coração:
Seu principal mérito é reduzir a formação de placas de gordura nas artérias.

Faxina nos vasos:
1. Livre no sangue, o LDL — o mau colesterol — se deposita facilmente na parede das artérias, formando placas de gordura.
2. A boa ação do álcool é estimular o fígado a produzir HDL,a molécula que tira o excesso de LDL de circulação.

Corte na inflamação:
1. Lesões nos vasos desencadeiam      uma inflamação.  Há um aumento de substâncias, como a proteína C-reativa e o fator NFkB,que participam da formação das placas.
2. A bebida também inibe a ativação dessas substancias.

Sem trombos:
1. Paredes lesadas e inflamadas são uma ameaça de sangramentos. Para evitá-los as plaquetas do sangue se agrupam com a ajuda do fibrinogênio, formando coágulos.
2. A produção de fibrinogênio cai na presença de álcool, dificultando a formação dos trombos. Garante se, assim, a passagem do sangue.

Vasos mais flexíveis:
1. A parede doente pode ficar   endurecida, piorando o quadro.
2. Os drinques tem uma açào direta sobre a musculatura do vaso, deixando o mais relaxado e dilatado.

Compartilhe no:
  • Orkut

Dicas para proteção do sol

Proteja-se
Sol, calor e praia não são os melhores amigos dos cabelos. A água do mar deixa as madeixas
sem brilho e a exposição aos raios solares desbota os cabelos tingidos e deixa os virgens amarelados. Mas nem por isso
as mulheres devem fugir da estação mais quente do ano. Para manter a cabeleira linda, é preciso seguir alguns cuidados. Confira as dicas do cabeleireiro Gennaro Preite, e consultor da marca de escovas Condor:
Leve uma bombinha com água e condicionador ou creme hidratante. A cada banho de mar, retire a umidade com uma toalha e borrife a mistura;
Sempre que os cabelos estiverem com areia, evite penteá-los, para que os grãos não promovam uma esfoliação  nos fios. O correto é retirar a areia durante o banho de mar ou chuveiro;
Use produtos capilares com proteção solar;
Beba muita água, pois ajuda na hidratação natural dos fios;
Fazer uma escova, após a hidratação, ajuda a selar os fios e dificulta a entrada dos raios solares.

Compartilhe no:
  • Orkut

Ótima notícia

A Secretaria de Estado da Saúde, por intermédio do Instituto Butantã, está desenvolvendo um medicamento que atua diretamente no combate à pressão alta na gravidez, doença que pode levará morte.Os pesquisadores do Instituto encontraram uma substância presente no veneno da jararaca capaz de atuar diretamente nesses casos. Testes realizados com animais, que acabam de ser concluídos, comprovaram a eficácia da nova substância.

Compartilhe no:
  • Orkut

Material poderoso

Os deficientes visuais que desejam doar sangue nos postos da Pró-Sangue terão acesso aos textos em braille dos requisitos básicos para doação, cuidados pós-doação, voto de auto-exclusão, entre outros. Este material, impresso em tinta e braille, é produzido pela Fundação Dorina Nowill para Cegos.”A nossa doação fica mais valorizada quando a gente pode ler e entender melhor sobre o processo, por conta própria”, declarou Jaime de Araújo, deficiente visual e doador desde 1996.

Compartilhe no:
  • Orkut

Veganismo e coração


Minha cunhada foi submetida a uma cirurgia cardíaca para colocar uma válvula no coração e não sobreviveu. Segundo os médicos, os músculos do coração estavam comprometidos e não tinham força suficiente para segurar a válvula (não tinham elasticidade ou força suficiente para contrair) e associaram isso ao estilo de vida dela. Ela era vegana há 28 anos aproximadamente. Agora eu sofro com a cobrança da família porque eu, minha filha e minha neta (I I anos de idade) nos tornamos vegetarianas faz três anos.
Há uma série de fatores que podem ter levado a sua cunhada a precisar dessa cirurgia e outra série de fatores que podem ter levado a cirurgia a não ter sido bem-sucedida. 0 que é certo é que a dieta vegana não é um fator de predisposição a qualquer uma das duas situações. Na verdade, os estudos mostram que os vegetarianos gozam de melhor saúde, especialmente no que diz respeito à saúde cardiowscular. Não é à toa que o único tratamento dietético que se mostra eficaz em reverter (e não apenas controlar) a arteriosclerose é aquele baseado em uma deita vegana. Sendo assim, as evidências mostram o contrário daquilo que a sua
família está cobrando de vocês. No entanto, com as informações limitadas que você forneceu, não é possível afirmar que a dieta da sua cunhada fosse saudável, pois isso depende de como ela a praticava. Mas o que é possível afirmar é que não se pode atribuir uma deficiência no músculo cardíaco eo simples fato da exclusão de produtos de origem animal da dieta.

Compartilhe no:
  • Orkut