Arquivo da Categoria ‘Afecções’

¿Por que as perninhas em X são típicas dos gordinhos?

¿Por que as perninhas em X são típicas dos gordinhos?
Simples. Por causa das coxas grossas as pernas se abrem para fora. “Aí, para manter o equilíbrio, os joelhos se aproximam, formando o X”, descreve Joaquim Grava. Até os 3 anos, é normal a criança ficar em pé nessa posição — chamada geno-valgo. Depois dessa idade, se continuar pisando assim, pode ser necessário usar aparelhos corretivos à noite e, se o desvio for acentuado, partir para a cirurgia.

Compartilhe no:
  • Orkut

¿O andador causa algum problema de coluna?

¿O andador causa algum problema de coluna?
Não. Mesmo assim, os especialistas proíbem o uso do aparelho. “O andador facilita demais o deslocamento da criança, deixando-a sem medo de cair”, diz Henrique Sodré Filho, da Unifesp. “Aí, quando está em pé por conta própria, ela se desequilibra com facilidade e se sente insegura para arriscar os primeiros passos”, justifica. Aproveite a fase das engatinhadas e incentive seu filho a ficar em pé naturalmente, lá pelos 11,12 meses de idade.

Compartilhe no:
  • Orkut

Corregir problemas nos pés

Minha filha está pisando para dentro. O que fazer?
Valéria Sanches, São José do Rio Preto, SP

Isso pode ser resultado de algum desvio nos pés, nos joelhos ou nos quadris. “Para identificar a origem e, assim, acertar no tratamento, leve-a a um ortopedista”, aconselha Joaquim Grava, ortopedista do Hospital e Maternidade São Luiz, em São Paulo. Quando o problema está mesmo nos pezinhos, a criança usa tênis ortopédicos com uma palmilha específica que obriga o pé a acertar o passo. Se não é isso, pode ser necessário recorrer aos aparelhos ou à cirurgia.

Compartilhe no:
  • Orkut

Receitas com óleo de Tea Tree

Tiro e queda contra micose:
Para acabar com os fungos entre os dedos, pingue cinco gotas do óleo em um pouco de creme para assaduras, desses usados por bebês. Aplique duas vezes ao dia, espalhando bem. Mas não vale dispensar o médico!

Compartilhe no:
  • Orkut

Nodulos en la tiroides

Com uma agulha no pescoço:
Células aspiradas da tireóide revelam o que está por trás de misteriosos nódulos.
Embora exista há cerca de 50 anos, a punção da tireóide só caiu nas graças dos médicos na década de I990. Não é para menos. O exame é simples e barato, não exige anestesia e oferece resultado rápido — em dois dias — e preciso. Só há o inconveniente de a pessoa ter de enfrentar uma bela espetada no pescoço. A aflição, garantem os médicos, é maior do que a dor em si, já que o diâmetro da agulha não vai além de 0,5 milímetro.
Passa pela punção aspirativa por agulha fina, como é chamada a técnica, quem apresenta nódulos na glândula — caroços que muitas vezes são percebidos com uma simples palpação. O especialista usa uma seringa para retirar uma pequena amostra do material. Em seguida ela é analisada em laboratório. “Fazemos, em média, três punções em cada nódulo”, conta Paulo Carneiro, patologista da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo. Por esse procedimento são flagrados desde tumores benignos até câncer — que, diga-se, não ultrapassa lo% dos casos.

Compartilhe no:
  • Orkut

O passo a passo de um bom curativo

O passo-a-passo de um bom curativo:

Se você ou alguém na sua casa se machucar, siga este procedimento:
Lave a lesão com jatos de soro fisiológico, usando para isso uma seringa ou o próprio frasco. Na ausência do soro, use água — e até mesmo sabão, se o machucado estiver sujo.
Seque com gaze esterilizada. Não use outros materiais para a secagem, como o algodão, que pode deixar fiapos no local. Corpos estranhos só atrapalham a cicatrização.
Mantenha a pele hidratada com soro fisiológico. Você pode colocar uma gaze embebida no local. Ou aplique óleo de amêndoas.
O Cubra com gaze,fixando-a com esparadrapo hipoalergênico colado nas bordas para não atrapalhar a oxigenação. Pus, vermelhidão, dor e calor no local são sinais de que é melhor procurar um serviço de saúde.

Compartilhe no:
  • Orkut

Curativos para feridas

Barreiras da cicatrização:
Alguns fatores podem dificultar a recuperação da pele, tornando o curativo adequado ainda mais importante. Veja alguns deles:
• idade
• carência de proteínas, de zinco e das vitaminas C e A
• desidratação
• tabagismo, que diminuia oxigenação dos tecidos
• infecções anteriores ao acidente
• diabete

Compartilhe no:
  • Orkut

O kit de primeiros socorros

Caixinha pra toda hora:

SORO FISIOLÓGICO 0,9%: Ele limpa e hidrata. Aplique em forma de esguicho — você pode usar uma seringa — pois o jato remove agentes nocivos. Uma vez aberto, use e descarte em seguida. Por isso, compre sempre frascos pequenos.
ÓLEO VEGETAL: De amêndoas, de girassol ou de calêndula, também serve para hidratar.
GAZE ESTERILIZADA: Ela limpa, retirando o excesso de secreção.Também serve para comprimir o machucado que está sangrando, cobrir a lesão e mantê-la hidratada — no caso, se está embebida em soro fisiológico.
ESPARADRAPO HIPOALERGÊNICO.O MICROPORE: Além de servir para fixar a gaze esterilizada e a atadura de crepom, é usado para aproximar as bordas da pele nos cortes superficiais. O curativo deve ser feito na forma de X.
ATADURA DE CREPOM: É a famosa faixa utilizada para cobrir o ferimento ou firmar a gaze. É indicada quando a pele se apresenta muito sensível, porque daí não é muito adequado apelar para o esparadrapo.

Compartilhe no:
  • Orkut

Tratamento para aneurisma

Em que público é mais comum? Apesar de não haver nenhum estudo científico, percebemos que é um pouco mais freqüente na mulher e normalmente se manifesta depois dos 30 anos, por volta dos 40 a 50 anos. Cerca de 2% da população tem aneurisma e grande parte passa a vida inteira sem manifestar a doença.

Compartilhe no:
  • Orkut

Seqüelas do aneurisma

Quando não é fatal, o aneurisma pode deixar seqüelas deixa seqüelas?
Não necessariamente. Dos que não morreram, 65% ficam com seqüela ou morrem logo depois; 35% sobrevivem e evoluem sem seqüelas e apenas 15% saem ilesos. E uma doença grave.

Compartilhe no:
  • Orkut